O último homem na Terra
O que você faria se fosse o último homem (ou mulher) vivo na Terra?
É mais ou menos do que se trata o filme Eu sou a lenda, dirigido por Francis Lawrence.
Will Smith interpreta o virologista militar Robert Neville, que, por alguma razão, é imune ao vírus terrível que assolou a cidade de Nova York - e o mundo. Sozinho na ilha de Manhattan, Neville envia mensagens todos os dias através de todas as freqüências AM disponíveis, na esperança de encontrar um sobrevivente como ele e, à noite, quando as vítimas mutantes do incurável vírus atacam, ele se tranca em sua casa e faz testes com os mutantes que captura, na esperança de encontrar uma cura.
O filme começa mostrando uma entrevista com uma médica que, modificando o vírus do sarampo, descobriu a cura para o câncer.

"Quantos testes em humanos foram feitos até agora?" perguntou a jornalista.

"10.009," respondeu a médica.

"E quantas pessoas se livraram dos tumores?"

"10.009."

"Então vocês afirmam ter encontrado a cura para o câncer?"

A médica sorri. "Sim. Encontramos a cura para o câncer."

A cena muda e, três anos depois, Nova York é mostrada vazia, morta e completamente quieta. Foi extremamente interessante (e um tanto quanto perturbador) ver a cidade que nunca pára mostrada daquela maneira.

As pessoas "curadas" pelo câncer começaram a apresentar sintomas estranhos e transformaram-se em canibais rápidos e fortes, que comiam todos que viam pela frente. O governo americano colocou Nova York em quarentena, e só saíam da cidade aqueles que comprovadamente não estavam infectados. O vírus se espalha e só sobra Neville e sua cachorra, Sam.

Ouvi algumas críticas ruins ao filme, afirmando que ele era ficção científica demais. De fato, o filme não é baseado em fatos reais, e sim em um romance de Richard Matheson. A história tem seu lado exagerado, é claro. Mas achei extremamente interessante o seguinte contexto: a cura do câncer foi encontrada de uma hora para a outra e, por conseqüências certamente não previstas, a humanidade foi levada à beira da extinção. Talvez para tudo exista uma razão...

É claro que nossos cientistas jamais desistirão de tentar encontrar uma cura para a horrível doença que é o câncer. Mas talvez a mensagem subliminar do filme tenha sido justamente demonstrar que há coisas ainda piores que podem vir a acontecer. E demonstrar, também, que quem causou a semi-destruição da humanidade fomos nós mesmos.
11 Responses
  1. Bah pergunta difícil essa do que eu faria se fosse o último homem na terra. Mas acho que faria algumas coisas que o meu dinherio não pode pagar com andar numa ferrari, sair do trabalho mais cedo e andar a 200km na BR. Depois acho que ficaria na monotonia e me mataria. Mas este é um bom filme e recomendo à quem ainda não assistiu.


  2. Raquel Says:

    Engraçado tu dizeres isso, porque o cara andou com vááários carros a uns 250km/h. Achei muito engraçado!

    Eram jipes, ferraris, cadillacs...

    =D


  3. Bruna Says:

    Shoooowlll...
    hehehe

    fróid explica...
    essa eh boa...

    :P


    muito bom teu post...
    beijooooooooo


  4. Raquel Says:

    Mas bah!

    hauhauhaua

    Teu blog tá bombando todas!
    =D


  5. Misael Says:

    o filme é legal: tem boa atuação do Will Smith e uma direção competente. Por algum motivo, ele termina muito rápido(o filme tem 80 minutos, se não me engano) e sem explorar toda visceralidade e profundidade que a obra merecia. Isso é bastante decepcionante e faz o filme perder em qualidade.

    sobre a questão do câncer, bem é algo polêmico. mas varia da crença de cada um. Temos como exemplo agora, o acelerador de partículas que simula o big bang. Religiosos não aceitam esse tipo de afronta. é mexer com o divino o desconhecido, em troca de conhecimento. e aí?


  6. Raquel Says:

    É verdade.

    É claro que sem arriscar, nunca teríamos descoberto nada, seja em proporções pequenas, como nas pequenas coisas do dia-a-dia, ou em grandes proporções, como o acelerador de partículas ou o vírus do filme.

    Vamos ver no que vai dar... =P


  7. iara-alencar Says:

    oi Raquel!!!!!
    Sabe que eu adoro o Smith!! so lembro do filme Hitch um conselheiro amoroso (eu juro que choro toda vez que vejo aquele filme rsrsrs), que por acaso eu adoro.

    eu fico com medo desses filmes de ficção, uma hora isso vira realidade..
    queria ter visto o batmam, agora so esperar pela locadora.

    Se é amiga de teylor é minha também.
    At
    Iara Alencar


  8. Raquel Says:

    Hehehe

    Eu adoro a atuação do Will Smith, também! "Hitch" é muito legal!


  9. bom, apenas digo que sou fã do Will
    em qualquer filme ou série
    e até na música
    mas no caso de "Eu sou a lenda", o livro é bem melhor.
    vou te ADDotar!
    Obrigada pela visita!
    bJUs


  10. Aninha Says:

    Queridaaaaa
    Obrigada por entrar no meu blog...
    Lindo o seu. Te confesso que u deveria entrar mais no meu blog, hehehehe, mas as vezes o tempo...

    Tudo de bom amiga
    Também vo add nos meus, certoooo

    Grande beijoo
    Te adorooooo


  11. Raquel Says:

    É verdade, às vezes o tempo não permite...

    Brigada por me ADDotar, Ju
    hauahuahaua


Postar um comentário

Comenta, vai!